OFÉLIA

Sete saltos para se afogar

Teaser de “OFÉLIA: sete saltos para se afogar”, solo teatral de Raiça Bomfim.
Vídeo: Daniel Guerra

Raiça Bomfim estreia leitura sobre Ofélia, de Shakespeare

Solo teatral fará curtíssima temporada
na Casa de Castro Alves, no Centro Histórico

“OFÉLIA: sete saltos para se afogar” é o solo de Raiça Bomfim, num franco diálogo com a personagem da tragédia “Hamlet”, de William Shakeaspere. A curta temporada de estreia acontece na Casa de Castro Alves (Rua do Passo, n 52, Carmo/Santo Antônio, vizinha da Igreja Nossa Senhora do Passo – http://casadecastroalves.com/), dias 18 e 19/04, sábado e domingo, às 20h.

O espetáculo foi desenvolvido em diálogo com uma variada equipe de criação e tece uma escritura pessoal inspirada pelos signos, crises e metáforas abarcados na figura de Ofélia. Com qualidade híbrida, intercruzando diferentes linguagens artísticas e friccionando os limites entre teatro e performance, a peça investe na criação de um espaço imersivo, onde o espectador é convidado a mergulhar no universo da afogada. Ao mesmo tempo, atriz e equipe abrem-se para uma escuta e a recriação das vozes sussurradas e cantadas por Ofélia.

Consequência de uma série de experimentações e intercâmbios criativos com artistas de diferentes áreas, provocadas pela figura de Ofélia, a montagem faz parte de uma investigação cênica iniciada pela atriz e criadora há mais de dois anos, com a criação de estudos cênicos, fotografias, poemas, tornando-se tema de sua pesquisa de mestrado, iniciada em 2015. Ainda este ano será lançado o livro “Manual de Afogamento”, de autoria de Raiça, que também integra o projeto.

De acordo com a atriz e autora Raiça Bomfim, na obra de Shakespeare, Ofélia aparece como par romântico do príncipe Hamlet, uma donzela obediente, que termina por enlouquecer e afogar-se nas águas de um rio. “As possibilidades abertas pela interrogação sobre os motivos propulsores de sua tragédia deram a esta personagem uma qualidade dinâmica, no bojo da qual podemos situar uma pluralidade de pulsões criativas e questões filosóficas. Ofélia galgou uma condição plurivalente na qual assenta a representação de uma diversa gama de sujeitos. Ela é ao mesmo tempo a imagem da submissão e sua negação, sendo um corpo que abriga identidades confrontantes” afirma a criadora. O espetáculo propõe abrir-se para uma escuta ampla das vozes sussurradas e cantadas por Ofélia traduz-se em uma abertura física para os desejos, olhares e corpos sonoros presentes a cada momento do encontro artístico.

SERVIÇO

O quê: Curta temporada de estreia do espetáculo teatral “OFÉLIA: sete saltos para se afogar”

Onde: Casa de Castro Alves (Rua do Passo, n 52, Carmo/Santo Antônio, vizinha da Igreja Nossa Senhora do Passo)

Quando: Dias 18 e 19 de abril (sábado e domingo), às 20h

Valor: a R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia). Os ingressos estarão à venda a partir das 18:30, nos de apresentação)

Capacidade de público: 80 pessoas

FICHA TÉCNICA

Realização_ Gameleira Artes Integradas
Criação e performance_ Raiça Bomfim
Dramaturgia_ Raiça Bomfim
Direção Musical_ André Oliveira
Direção de produção_ Vitor Barreto
Produção executiva_ Uala Vandeik
Preparação corporal_ Felipe Benevides
Colaboração cênica_ Daniel Guerra e Felipe Benevides
Iluminação e cenário_ Erick Saboya
Projeção_ Marcília Barros e Erick Saboya
Assessoria de imprensa_ Mônica Santana
Fotografia_ Carol Garcia
Apoio_ Olga Lamas, Gordo Neto, Centro Técnico do TCA, Crioula – Comunicação e Mobilização Social, Núcleo VAGAPARA